postheadericon Finalmente !!! a PEC dos jornalistas saiu

Não faz muito tempo, um amigo jornalista  me perguntou: Então, como fica agora os jornalistas que tem diploma, e estão concorrendo vagas de emprego, com outros profissionais como advogados, que se dizem profissionais de comunicação e estão escrevendo em jornais, revistas e outros meios de comunicação? Eu simplesmente respondi, já que a profissão de jornalista foi “extinta” porque, não precisa mais de diploma para estar atuando na mídia, então que vença o melhor.


Mas, o que parecia simples para os “oportunistas” causou muitos problemas pra  justiça, aumentando o número de processos e transtornos pessoais. Então, depois de muita luta da categoria, por seus direitos, finalmente !!! A PEC dos jornalistas saiu.


E na última terça - feira (14) o Plenário do Senado aprovou, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 33/2009, conhecida como PEC dos jornalistas. A proposta, foi aprovada em segundo turno por 60 votos a 4, torna obrigatório o diploma de curso superior de Comunicação Social, habilitação jornalismo, para o exercício da profissão de jornalista. Nós jornalistas temos muito a comemorar, pois provamos a todos que a profissão não requer só status ou um bom texto, mas sim credibilidade, responsabilidade e acima de tudo conhecimento do que faz.


Esperamos muito este dia, sem pressão ou imposição, de forma justa ela foi  apresentada pelo senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE), a PEC dos Jornalistas acrescenta um  novo artigo à Constituição, o 220-A, estabelecendo que o exercício da profissão de jornalista é  “privativo do portador de diploma de curso superior de Comunicação Social, com habilitação em jornalismo, expedido por curso reconhecido pelo Ministério da Educação”. Pelo texto, é mantida a tradicional figura do colaborador, sem vínculo empregatício, e são validados os registros obtidos por profissionais sem diploma, no período anterior à mudança na Constituição prevista pela PEC.


 Nossa dignidade foi resgatada, quando falei ao amigo que vença o melhor, tinha a consciência de que o reconhecimento da profissão chegaria. É preciso estudar, se aperfeiçoar, saber trilhar o caminho escolhido. Vejam só de  1º julho de 2010 a 29 de junho de 2011, foram concedidos 11.877 registros, sendo 7.113 entregues mediante a apresentação do diploma e 4.764 com base na decisão do Supremo. E poucos são os que vencem pela persistência e dignidade. Parabéns! Companheiros jornalistas, este é um dia histórico.

Enquete
O que você achou do novo site?
 
Banner

Assine nossos informativos eletrônicos gratuitos.


Nome:

Email:

 
 
 
 
 
 
  • Advertisement
  • Advertisement